12º Dia – Jardín

Jardín é um pequeno município colonial com aproximadamente 7.000 habitantes na área urbana. Está sendo considerado uma rota turística há muito pouco tempo até mesmo pelos colombianos.

Começamos o dia, passeando pelas ruas da área central para observar o casario e a movimentação da cidade em si. O estilo colonial predomina em praticamente todas as casas.

Casario típico de Jardín
Vista diurna da Igreja Imaculada Conceição

Como ficaríamos somente um dia em Jardín, privilegiamos os pontos mais centrais. Inicialmente, compramos a passagem para o dia seguinte e, na mesma rua que chegam os ônibus, encontramos (por acaso) um lugar chamado Organización Turistica de Jardín (Calle 8 No. 5-14) que pensávamos ser um escritório de informações turísticas da cidade inicialmente, mas cremos que seja uma agência de turismo. De qualquer forma, a moça que nos atendeu nos passou um mapinha e marcou várias direções importantes dentro da cidade. Aliás, a cidade não têm indicações dos roteiros, trilhas, etc. A informação é meio que de boca em boca.

A mesma moça disse que não poderíamos deixar de conhecer uma loja chamada Dulces de Jardín que é uma empresa de produção local de compotas, geleias e bolachas. Passamos na loja para conhecer e compramos apenas um arroz doce típico e um refrigerante chamado Colombiana para experimentar. No nosso esquema de viagem, não temos condições de levar vidros de compotas.

Optamos por fazer um percurso de uma hora e meia que começa no El Camino de la Herrera e finaliza na La Garrucha.

O El Camino de la Herrera é um caminho construído em pedra em 1858. Tem apenas 350 metros de comprimento, mas é conservado como de interesse patrimonial de Jardín.

El Camino de la Herrera

Durante o percurso, se observa uma paisagem bucólica com muitas flores.

Flores no El Camino de la Herrera
Flores no El Camino de la Herrera
Flores no El Camino de la Herrera

Passado os 350 metros, a estrada fica de chão batido e podemos fazer esta grande volta que finalizará no teleférico La Garrucha.

No caminho, além das flores, encontram-se a Cascata do Amor, o rio Volcanos, plantações de café e uma vista  panorâmica da cidade.

Cascata do Amor – queda de 35 metros de altura – percurso do El Camino de la Herrera até à Garrucha
Flores no percurso do El Camino de la Herrera até à La Garrucha
Pés de café no percurso do El Camino de la Herrera até à La Garrucha
Rio Volcanes no percurso do El Camino de la Herrera até à La Garrucha
Vista da cidade no percurso do El Camino de la Herrera até à La Garrucha

O teleférico La Garrucha foi construído sobre o rio Volcanes como uma alternativa ágil de transporte para os moradores locais, mas hoje funciona como uma opção de entretenimento para os turistas.

Vista do teleférico La Garrucha
Descendo no teleférico La Garrucha

Na parte da tarde, optamos por subir o morro onde fica o Cristo Rey. Este morro fica do lado oposto ao teleférico La Garrucha e até possui um teleférico que está desativado atualmente por falta de recursos para manutenção.

O trajeto a pé começa na Calle 11 ao lado esquerdo da igreja – não há quaisquer indicações/marcações. O começo do caminho é de pedras arredondadas morro abaixo até chegar em uma ponte. A partir da ponte, começa a subida que passar por propriedades particulares morro acima por caminhos estreitos e íngremes.

A vista compensa os quase 45 minutos de caminhada.

Vista de Jardín a partir do morro do Cristo Rey

Na volta, optamos por outra trilha indicada por um morador local. Trilha por meio de propriedades particulares.

Trilha na descida do Morro do Cristo Rey
Vista do morro do Cristo Rey ao fundo

De volta para a cidade, estava mais do que na hora de uma parada para um café no Café Macanas.

Parada no meio da tarde para saborear um café colombiano

Após às 16:00, visitamos O Parque Natural Jardín de Rocas. Novamente, não há placas no trajeto. Quando se vai em direção à ponte amarela que sai pela Calle 9, entra-se na primeira rua à direita antes da ponte. Tivemos que pedir informações.

Neste pequeno parque, pode-se observar o Galito de las Rocas Peruanos, típico da região andina e amazônica.

Gallito de Rocas

À noite, mais uma volta no centro para ver Jardín iluminada.

Vista noturna da Igreja Imaculada Conceição
Visão noturna do casario típico de Jardín

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *